Wednesday, February 15, 2006

Baby



Quero um filho seu.
Igualzinho a você.
Com as mesmas complicações.
O mesmo sorriso.
A mesma voz.
Os mesmos vícios.

Tuesday, February 14, 2006

Desejo


Eu lembrei da nossa primeira vez.
Tecnicamente tão imperfeita.
Mas a melhor noite da minha vida.
E eu senti.
Tudo, tudo outra vez.
Senti você ali, comigo.
O beijo e a mesma respiração alterada.
A sua vergonha.
A sua voz baixinha.
Os gemidos.
Senti, inclusive, você dentro de mim.
E quase não consegui dormir.

Sunday, February 12, 2006

Parece

Parece que eu te esqueci.
Mas não dá pra ter certeza ainda.
E pelo jeito você também.
O tudo virou nada.
E eu não queria.


Dia de roubarem o carro da Amanda.
Dia de balada furada na Ozone.

Saturday, February 11, 2006

Ciúme




"Nem vem... Você paga pau pra ela, não tem jeito..."
Vadia d'uma mestiça.
Tava a ponto de meter a mão na cara feia dela.
Vai, besta...
Se não tivesse "faltado com respeito" sábado passado, teria certeza de que jamais ele faria isso com você... Não na sua frente...
Agora fica aí com medo.

Thursday, February 09, 2006

Escreva


A gente vai se casar ainda.
Ambos sabemos que somos perfeitos um para o outro.
Vamos namorar outras pessoas...
Mas você vai ver.
A vida vai se encarregar de nos aproximar de novo.
Tudo vai ficar bem claro quando eu estiver longe...
Quando seus romencezinhos não derem certo...

No fundo você também sabe disso.

Madrecita



Queria que eu prometesse que não ia fazer nada errado por lá.
"O que é errado?"
Disse que algumas acabam indo por outro caminho quando chegam lá.
Me onfendeu.
Profundamente.
Se eu fosse "santa", pura e imaculada como a outra filha dela não teria sido obrigada a ouvir uma coisa dessas.

"Você ainda não prometeu."

Afe.

Saudade


Acabei de receber.
E foi você quem mandou.

Dri



Ontem eu disse pra Ju que o próximo namorado é sempre melhor que o anterior.
Você concordou e lamentou.
"Se um dia a gente namorar outras pessoas, infelizmente a gente vai dizer que são melhores que o Fausto e a Márcia."
Mentira.
Você sempre vai ser melhor.

Tanta coisa pode acontecer ainda...
Tanta coisa...

"A distância aproxima as pessoas."
Tudo bem que foi dita em outro contexto, mas eu prefiro adaptar pra nossa situação.
Que nem é mais nossa.
Sábias palavras as dela.
Mas eu não concordo.
Pelo menos não concordava.
Quer dizer... Minha mãe, minha irmã... Pode até ser...
Mas agora, pensando bem...
E considerando que a gente só vive coisas inéditas, é bem capaz que aconteça isso mesmo.
Que a distância que a gente acredita pôr um ponto final acabe fazendo com que as coisas mudem.
Saudade confunde demais as coisas.
Tempo faz amadurecer.
Quem sabe você perceba que o que mais você quer é se entregar (embora viva dizendo o contrário).
Você só tem medo.

"Você não tem medo de mim
Você não tem medo de mim
Você tem medo é do amor
Que você guarda para mim"

Adriana deprimente sempre nos rondando.
Começamos com "Mentiras".
Terminamos e voltamos com "Dona de Castelo".
E vira e mexe ela continua sabendo o que dizer na hora certa.
Sábia Dri.

Telefonema


Daí você me liga às 00:07 h.

E eu que há pouco escrevi um post misturando minhas confusões, me afundo ainda mais nelas.

Lembrei de quando a gente namorava.
Você sempre chegava da aula e me ligava nesse horário.
Eu sempre ficava esperando.
Não antes da meia-noite. E ligava se passava de meia-noite e meia.

Foi seu primeiro dia de aula.
Todo mundo perguntou de mim.
E você disse que a gente "Tá de boa".
E estamos mesmo.
Mas é outra coisa o que eles querem saber.

Você tá com sono. Não sabe se vai ficar na net.
Meu GT tá aberto esperando você ligar.
E a trilha de Amèlie Poulain vai me deixar louca.
Já deixou, eu acho.
Virou doença gostar de você.

Ri tanto do Lunático que fiquei igual.

Wednesday, February 08, 2006

Pazes feitas


Desde ontem.
Disse que quando me perdeu, perdeu uma parte de si.
Até pediu desculpas.
Eu chorei. E precisava desesperadamente de um abraço.
Deu vontade de sair correndo e passar a tarde toda abraçada com ele.

Acho que eu tenho medo do toque.
Quantas vezes dá vontade de pedir pra ficar abraçada, vontade de pedir colo.
Queria deitar no puff de novo.
Dividir um cigarro.
Mas o que é que eu quero, afinal?
Abraço, colo e carinho de amigo?
Acho que sim, mas amigos (homem-mulher) não costumam agir assim.
Então complica.

Tuesday, February 07, 2006

Por volta das 14h, indo pra agência

J: Sabe o que mais me deixa puta?
M: Hun?
J: Ah, que assim... Eu vi mesmo que pra você não fez diferença nenhuma... Mas eu tô revoltada por você...
M: Hun?
J: Meo, foi muita humilhação... Pegou pesado demais...
M: Já me disseram isso ontem... Mas na hora eu tava calma demais.
J: Isso que deve ter dado mais raiva...
M: É.


Soundtrack: Comptine D'Un Autre Ete